Hospital de Messejana recebe capacetes Elmo para tratamento de pacientes com Covid-19

O Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM), unidade da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), do Governo do Estado, recebeu cinco capacetes Elmo, equipamento de respiração artificial não invasivo que auxilia no tratamento de pacientes com Covid-19. O diretor-geral do HM, Daniel de Sousa, destaca a importância do aparelho para a evolução dos serviços prestados pelo hospital.

“O HM é um hospital de referência em patologias pulmonares e cardíacas e uma das unidades com maior contingente de pacientes com Covid-19. Poder treinar nossos profissionais e ofertar essa tecnologia aos nossos pacientes é, sem dúvida, motivo de alegria”, afirma. Na próxima semana, profissionais do HM participarão de treinamentos teóricos e práticos sobre o uso do respirador artificial e, posteriormente, serão multiplicadores das formações.

O HM é o primeiro hospital da rede de saúde do Ceará a receber o equipamento, que passou por avaliação e testes clínicos durante cinco meses no Hospital Leonardo da Vinci (HLV), unidade incorporada recentemente à rede estadual. A entrega dos capacetes ocorreu na última terça-feira (8) e reuniu cardiologistas, pneumologistas, fisioterapeutas e enfermeiros do hospital. Durante a cerimônia, o superintendente da Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP) e idealizador do equipamento, Marcelo Alcantara, detalhou os resultados clínicos preliminares do equipamento.

“Com os testes, foi possível validar as funcionalidades e usabilidade do capacete, bem como sua eficácia no tratamento de insuficiência respiratória causada pelo coronavírus”, ressaltou o gestor, explicando os critérios para o fornecimento dos aparelhos ao HM. “As outras unidades também receberão, mas, neste momento, o Messejana foi favorecido, pois tem tudo para gerar dados novos, pesquisas e conhecimentos que vão ajudar aprimorar ainda mais o projeto”.

Cardiologistas, pneumologistas, fisioterapeutas e enfermeiros participaram da sessão clínica especial que destacou a aplicação do Elmo

Redução de intubações

Ao utilizar um mecanismo de respiração artificial não invasivo, o Elmo foi fundamental para evitar a intubação de pacientes, reduzindo em 60% a necessidade de internações em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O dispositivo trata quadro clínico moderado e também auxilia casos em início de gravidade.

A proposta de criar um capacete nasceu no início de abril. A iniciativa uniu ciência, tecnologia e inovação, um dos valores da Sesa. Ao todo, nove protótipos foram sugeridos e testados em voluntários no Laboratório Elmo, implantado na Central de Ventiladores Mecânicos e Equipamentos Respiratórios (CVMER).
O trabalho reuniu diversos profissionais, entre médico pneumologista e intensivista, fisioterapeutas, técnicos em usinagem e ferramentaria, design industrial e engenheiros nas áreas clínica, civil, mecânica e de produção.

O projeto foi abraçado pelo Governo do Ceará, por meio da Sesa, ESP/CE e Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/Ceará), Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade de Fortaleza (Unifor), com o apoio do Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) e Esmaltec.