Projeto “Elminho” é discutido por equipe da ESP/CE durante visita ao Hospital Albert Sabin

O capacete de respiração assistida Elmo deve ser adaptado para o público infantil. Intitulado de “Elminho”, o projeto está em desenvolvimento pela Escola de Saúde Pública do Ceará Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ESP/CE), vinculada à Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). Na manhã desta quinta-feira (3), gestores da autarquia visitaram o Hospital Infantil Albert Sabin (Hias) – também da Rede Sesa e referência em assistência pediátrica terciária –, visando a futuras parcerias para testes clínicos do dispositivo.

O superintendente da ESP/CE, Marcelo Alcantara, e a diretora de pós-graduação em Saúde, Olívia Bessa, reuniram-se com a diretora-geral do Hias, Patrícia Jereissati Sampaio.

Também estiveram presentes a coordenadora do Centro de Estudos do hospital, Lia Cavalcanti; a coordenadora do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento, Hildênia Ribeiro; e a diretora técnica Euzenir Moura, ambas do Hias.

A visita deu o pontapé inicial numa série de outras articulações que serão realizadas ao longo do ano em unidades da Sesa. A ideia é não só propor parcerias, mas, principalmente, apresentar a ESP/CE, os seus cursos e as suas capacitações, além de visitar Centros de Pesquisa e Estudo das instituições. “As unidades têm um papel muito importante de formação profissional. Por ano, quantos profissionais o Sabin devolve para a sociedade? Vamos trabalhar esse perfil, num hospital de referência no Estado”, explica Olívia Bessa.

Atualmente, o Hias conta com quase cem residentes geridos pela ESP/CE, sendo 30 deles multiprofissionais na área da Pediatria, abrangendo diversas profissões, como Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional. Na Residência Médica, são 64 trabalhadores nas especialidades de Pediatria, Oncologia Pediátrica, Cirurgia Pediátrica, Gastroenterologia Pediátrica, Hematologia e Hemoterapia Pediátrica, Medicina Intensiva Pediátrica, Nefrologia Pediátrica, Neonatologia, Ortopedia e Traumatologia, Ortopedia e Traumatologia e Pneumologia Pediátrica.

Capacete Elmo

Com a propriedade de reduzir em 60% a necessidade de internação em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o capacete de respiração assistida Elmo é fruto de pesquisa e inovação no Ceará, criado, inicialmente, para tratar pacientes adultos com quadro leve ou moderado de covid-19. Feito com silicone e PVC, o dispositivo foi desenvolvido para oferecer oxigênio em alto fluxo para o usuário internado. O equipamento envolve toda a cabeça do paciente e é fixado no pescoço em uma base que veda a passagem de ar. A força-tarefa do desenvolvimento do equipamento contou com pesquisadores, especialistas e técnicos de instituições dos setores público e privado.


Aparelho foi usado pela primeira vez em uma paciente internada no Helv, em 2020

O “Elminho”, que deve contemplar crianças e adolescentes, ainda não tem data para desenvolvimento de um protótipo. “É um projeto para desenvolver a adaptação pediátrica do Elmo. Disparamos esse projeto aqui na Escola vendo a necessidade desse momento até da pandemia, com a insuficiência respiratória hipoxêmica, e o nosso convite veio para o Sabin. O ‘Elminho’ poderia ser aplicado na Emergência”, pontua Marcelo Alcantara.

A proposta é que, quando forem aplicados os testes clínicos, o Hias possa ser uma das unidades a utilizar o equipamento, a exemplo do que foi feito no Hospital Estadual Leonardo da Vinci (Helv) com o capacete destinado a adultos, em 2020.

Habilidades

, , , ,

Postado em

4 de fevereiro de 2022