Design para salvar vidas: Laboratório de Inovação do SUS produz diagnóstico de problemas de saúde pública com uso de Design Thinking
Publicado em 28 de junho de 2022
Oficina de Design de Serviços da ESP

Oficina de Design de Serviços da ESP

Que design não serve só para fazer cartaz, muitos de nós sabemos. Mas se a gente te contar que através do uso de metodologias de Design Thinking é possível fazer uma anamnese das políticas públicas de saúde, e um mapa de problemas e possíveis soluções, você acredita?

De hoje até quinta-feira (28 a 30 de junho), dezenas de colaboradores da Escola de Saúde Pública do Ceará Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ESP/CE) estão na Biblioteca Pública Estadual do Ceará (Bece) para vivenciar a Oficina de Design de Serviços, com foco na resolução de problemas estratégicos da instituição, que impactam suas áreas de atuação – Educação, Extensão, Inovação, Inteligência e Pesquisa.

A oficina é uma promoção do Laboratório de Inovação no SUS do Ceará – Felicilab, que faz parte da própria Escola, e existe para produzir soluções tecnológicas, de pesquisa e de desenvolvimento na área da saúde, através do design, da programação e das narrativas. E conta com o apoio da Bece.

“Nesta edição a oficina tem o objetivo de identificar os principais desafios e problemas dos diferentes setores da ESP/CE, e definir caminhos para o desenvolvimento de soluções inovadoras”, explica o líder de design do Felicilab, Ranielder Freitas.

Antes da realização do evento, houve um caminho de preparação com a promoção das pré-oficinas envolvendo todas as macroáreas da ESP, de forma individualizada – Governança e Gestão, Educação e Extensão, Desenvolvimento Educacional, Inteligência em Saúde, Pesquisa em Saúde, e Inovação e Tecnologias.

Após a finalização de todas as prévias, o time do design se debruçou sobre os achados de cada encontro e agora vai conduzir a priorização de alguns problemas que afetam vários setores, e orientar o desenho de soluções possíveis.

Na primeira edição da Oficina de Design de Serviços, aplicada à Secretaria Executiva de Políticas da Saúde, da Secretaria Estadual da Saúde do Ceará, o caminho foi bastante parecido, e resultou na organização e atualização de algumas políticas estaduais de saúde, entre elas a de Pessoas com Deficiência e a de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas, em agosto de 2021.

Para o designer Jorge Godoy, integrante do Felicilab e um dos facilitadores da Oficina, a experiência tem mostrado que, na maioria dos casos, “o que os participantes identificam inicialmente como seus principais desafios são na verdade as consequências dos verdadeiros problemas”, explica.

Metodologia colaborativa

A Oficina de Design de Serviços reúne pessoas dos diferentes setores institucionais para, por meio de um processo colaborativo, reconhecer seus principais desafios e priorizá-los com a validação de todos os participantes. Cada pessoa pode, com o uso de ferramentas metodológicas do Design Thinking, reconhecer as principais soluções possíveis para os problemas encontrados.

“É sempre um processo de aprendizagem muito grande conseguir visualizar as áreas no sentido mais próximo, percebendo as relações e o desejo comum de aperfeiçoarem seus trabalhos e de colaborarem no amadurecimento das instituições. Os desafios são enormes, alguns deles maiores do que a própria instituição, mas é muito importante que tudo isso fique mais claro para todos, porque isso é essencial para o fortalecimento das políticas públicas”, explica o design de experiências do Felicilab e facilitador da árvore de problemas, uma das metodologias usadas no evento, Paulo Amoreira.

Serviço:
Oficina de Design de Serviços Públicos
Onde: Biblioteca Estadual do Ceará
Quando: 28 a 30 de junho
Público: Edição com a Escola de Saúde Pública do Ceará

por

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.