ARQUITETURA DE INFORMAÇÃO – a prática de decidir como organizar as partes de alguma coisa de modo a torná-la compreensível (Information Architecture Institute).

BACKLOG – lista de atividades que devem ser executadas.

BUSINESS ANALYST (BO) – pessoa focada nos objetivos de negócio, e nos problemas e necessidades dos usuários, balanceando-os com os objetivos de negócio. No desenvolvimento de softwares, o BO atua de forma complementar ao PO.

CANVAS – ferramenta utilizada para facilmente definir e visualizar o modelo de negócio de uma empresa ou de um projeto.

COMMIT – gerenciamento de dados e controle de versão (ciência da computação), refere-se ao processo de efetivar um conjunto de alterações.

DESIGN DE EXPERIÊNCIA – prática de projetar produtos, processos, serviços, eventos, jornadas omnichannel e ambientes com foco na qualidade da experiência do usuário e em soluções culturalmente relevantes.

DESIGN THINKING – abordagem criativa, focada no ser humano, que se baseia na multidisciplinaridade, colaboração e tangibilização de pensamentos e processos, para propor alternativas e soluções inovadoras para empresas e/ou problemas da sociedade.

EXPERIÊNCIA OMNICHANNEL – experiência consistente em diversos canais diferentes: Fisicamente, Via smartphone, Redes Sociais, Website, Callcenter.

EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO – conjunto de elementos e fatores relativos à interação do usuário com um produto, serviço ou sistema.

FIGMA – Figma é um editor gráfico de vetor e prototipagem de projetos de design baseado principalmente no navegador web, com ferramentas offline adicionais para aplicações desktop para GNU/Linux, macOS e Windows.

INCEPTION (Lean Inception) – momento de alinhamento inicial. Define “o que fazer” e qual será o MVP. O “como fazer” será feito em outro momento.

ISSUE – é (na ferramenta GitHub) onde os usuários contribuem ou reportam os problemas/bugs encontrados. Ficando assim mais fácil a correção do problema e a obtenção das informações para simulação dos problemas.

JORNADA DO USUÁRIO – representação gráfica das etapas de relacionamento do cliente com um produto ou serviço, que descreve os passos percorridos antes, durante e depois da compra e/ou utilização.

MÉTODO AGILE – prática de desenvolvimento (originalmente, para softwares) que visa a colaboração, esforço e organização entre cliente, desenvolvedor e usuário.

MVP (Minimum Viable Product) – Mínimo Produto Viável. Versão mais simples de um produto que pode ser lançada com uma quantidade mínima de esforço e desenvolvimento.

PERSONA / AVATAR – Uma persona é um personagem fictício utilizado para entender a perspectiva do usuário ao utilizar um determinado produto ou serviço.

PLATAFORMA – modelo de negócio que usa a tecnologia para conectar pessoas, organizações e recursos em um ecossistema interativo, no qual podem ser criadas e compartilhadas quantidades incríveis de valor. A plataforma oferece uma infraestrutura para tais interações e estabelece condições de funcionamento para elas.

PRODUCT OWNER (PO) – “dono” de um produto. Pessoa que normalmente sabe tudo sobre o produto, como funciona, pra quem é, o que deverá ser priorizado.

PRODUTO – um produto não necessariamente precisa ser algo físico. Pode ser: uma vivência (curso digital), um software (aplicativo), um ambiente online (website), uma plataforma (sistema web), etc.

PROFISSIONAL DA SAÚDE – Pessoa que atua profisisonalmente no SUS (exemplo: médico, enfermeiro, agente de saúde, entre outros).

PROTÓTIPO – é uma versão inicial de um produto, experiência, atendimento ou serviço. Similar ao MVP.

SCRUM – metodologia de desenvolvimento de software semelhante ao agile.
SPRINT – período (de 1 a 4 semanas) onde são priorizadas uma determinada lista de tarefas que precisam ser entregues.

STAKEHOLDER – Qualquer pessoa que tenha autoridade e envolvimento dentro de um projeto, podendo ser: Executivos, CEO’s, Líderes, Gestores.

TESTE DE USABILIDADE – técnica de caixa-preta. O objetivo é observar usuários reais usando o produto para descobrir problemas e pontos de melhorias. O produto, que pode ser um site, uma aplicação web, um produto físico, não precisa estar completamente desenvolvido.