Av. Antônio Justa, 3161 anexo, Meireles, Fortaleza, CE, 60165-090

felicilab@esp.ce.gov.br



RPES

RPES

| O que é ? |

O Sistema de Regulação das Práticas de Ensino na Saúde (RPES) automatiza o gerenciamento dos programas de estágios curriculares obrigatórios e não obrigatórios promovidos na Rede de Serviços de Saúde do Ceará (Rede SESA).

Além disso, também é possível desenvolver, por meio da solução, cooperação técnica com as instituições de ensino, garantindo a integração ensino-serviço-comunidade, integrando docentes, estudantes, profissionais de saúde e outras pessoas usuárias.

 O RPES foi desenvolvido em 2016, após um amplo processo de escuta das pessoas e coleta de requisitos necessários. Foi implementado no mesmo ano de maneira gradual, didática e em parceria com cada uma das unidades de saúde e instituições de ensino conveniadas.

| Por Quê? |  

Antes do RPES não havia um monitoramento adequado das vagas de estágios e outras práticas de ensino realizadas na Rede de Serviços de Saúde do Ceará. Todo o controle dos estágios e internatos, obrigatórios e não obrigatórios no ensino em Saúde, era feito através de processos físicos à mão, o que dificultava muito a consolidação dos dados e uma visão geral da rede. 

A resposta foi desenvolver uma experiência inovadora e inédita no Brasil, de controle, monitoramento e acesso às vagas para estudantes de forma automatizada. As vagas passaram a ser disponibilizadas de forma organizada nos períodos específicos, possibilitando às unidades de saúde e às instituições de ensino o acompanhamento do passo a passo de obtenção da vaga.

| Por Quê? |

| Para Quê? |

| Deu no Quê? |

  • Transparência e agilidade no processo de concessão de vagas;
  • Melhoria na qualidade dos processos de educação em saúde com foco nos serviços;
  • Melhor relacionamento entre rede de ensino e rede de assistência em saúde;
  • Ampliação contínua das oportunidades de formação no Sistema Único de Saúde no Ceará.
  • Com a agilidade conseguida, gerou-se uma redução no tempo de resposta das solicitações feitas pelas instituições de ensino de 60 dias para 7 dias, e um aumento no quantitativo de vagas concedidas, de 10 mil em 2015 para 17 mil vagas concedidas já em 2017, ano posterior à implantação do sistema.

    Outro resultado importante foi a produção de um retrato imediato da ocupação da rede, apontando onde estavam as vagas, onde estavam os preceptores, quais eram as necessidades e ofertas da Rede etc. Assim, é possível gerar e acompanhar dados que subsidiam tomadas de decisão sobre essa distribuição de vagas.

| Para Quê? |

  • Transparência e agilidade no processo de concessão de vagas;
  • Melhoria na qualidade dos processos de educação em saúde com foco nos serviços;
  • Melhor relacionamento entre rede de ensino e rede de assistência em saúde;
  • Ampliação contínua das oportunidades de formação no Sistema Único de Saúde no Ceará.

| Deu no Quê? |

  • Com a agilidade conseguida, gerou-se uma redução no tempo de resposta das solicitações feitas pelas instituições de ensino de 60 dias para 7 dias, e um aumento no quantitativo de vagas concedidas, de 10 mil em 2015 para 17 mil vagas concedidas já em 2017, ano posterior à implantação do sistema.

    Outro resultado importante foi a produção de um retrato imediato da ocupação da rede, apontando onde estavam as vagas, onde estavam os preceptores, quais eram as necessidades e ofertas da Rede etc. Assim, é possível gerar e acompanhar dados que subsidiam tomadas de decisão sobre essa distribuição de vagas.

| O QUE ENTREGA? |

  • Dimensionamento da distribuição das vagas na Rede Estadual de Saúde;
  • Sistema para submissão de documentação necessária para obtenção de estágio;
  • Espaço de visualização e comunicação de resultados das vagas preenchidas.

    | ONDE ESTÁ? |

    | DE ONDE VEIO O RECURSO? |

    A manutenção e refatoração dos sistemas digitais já existentes na ESP, a exemplo do RPES, assim como a integração desses com novos produtos, é parte do escopo do Projeto “Soluções Digitais para Educação na Saúde”, uma proposta da Diretoria de Inovação e Tecnologias da ESP/CE. 

    No Plano Plurianual, o projeto Soluções Digitais está ligado ao Programa Gestão da Rede de Conhecimento, Educação, Tecnologia e Inovação em Saúde, nas iniciativas “Qualificação da gestão do conhecimento em saúde” e “expansão da integração ensino-serviço na implementação das políticas públicas”. 

    | ONDE ESTÁ? |

    | DE ONDE VEIO O RECURSO? |

    A manutenção e refatoração dos sistemas digitais já existentes na ESP, a exemplo do RPES, assim como a integração desses com novos produtos, é parte do escopo do Projeto “Soluções Digitais para Educação na Saúde”, uma proposta da Diretoria de Inovação e Tecnologias da ESP/CE. 

    No Plano Plurianual, o projeto Soluções Digitais está ligado ao Programa Gestão da Rede de Conhecimento, Educação, Tecnologia e Inovação em Saúde, nas iniciativas “Qualificação da gestão do conhecimento em saúde” e “expansão da integração ensino-serviço na implementação das políticas públicas”.